Caiado diz que Stédile está acendendo barril de pólvora

Integrante da bancada ruralista na Câmara, o deputado Ronaldo Caiado (PFL-GO) disse hoje que João Pedro Stédile, um dos líderes do MST, está acendendo o pavio do barril de pólvora, e que o governo federal está sendo omisso para impedir a onda de invasões de terras no campo e de terrenos nos centros urbanos. "As conseqüências são gravíssimas e o presidente será responsável por esse barril de pólvora", disse Caiado, reagindo às declarações de Stédile, que conclamou os sem-terra para uma guerra contra os fazendeiros e classificou-os de "inimigos". Caiado disse que Stédile está fomentando a discórdia e a violência, e o classificou de "desequilibrado mental". O deputado disse ainda que essas manifestações de uma das maiores lideranças do MST revela que o Movimento dos Sem Terra não quer estimular o processo de reforma agrária, e sim implantar um regime comunista no Brasil. "Com esse discurso ele está convocando a população para um processo de guerra no campo. É claro que eles não querem conviver com o processo democrático. Eles não querem respeitar as normas legais e a constituição brasileira. Eles não querem aceitar a maneira correta de se desapropriar e de se instalar um assentamento. O que eles querem é utilizar da boa fé de pessoas, muitas vezes inocentes", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.