Cacique deve se entregar à Justiça na sexta

O cacique Paulinho Paiakan vai se entregar nesta sexta-feira à Justiça do Pará, para cumprir em regime fechado os seis anos de prisão a que foi condenado em 1998 pelo estupro da estudante Silvia Letícia. A assessoria jurídica da Fundação Nacional do Índio (Funai) é quem está comandando a negociação com os caciques da tribo caiapó, em Redenção, no sul do Estado.Paiakan deverá ser levado para a Penitenciária Fernando Guilhon, em Americano, no município de Santa Isabel, a 45 quilômetros de Belém.No começo da manhã, o administrador da Funai em Redenção, Leonardo dos Santos, depois de uma reunião com dez líderes caiapós, remeteu para Brasília, por fax, cópia do mandado de prisão contra Paiakan assinado pelo juiz José Torquato de Alencar.Depois de receber o mandado, a procuradoria jurídica da Funai designou o advogado João Fula, a quem coube a tarefa de fechar a negociação com os índios, para que o cacique se entregue na aldeia Aukre, onde está refugiado há três anos. Fula deve desembarcar em Redenção no final da tarde.AcordoNesta quarta-feira de manhã o advogado, dois agentes da Polícia Federal e um oficial de Justiça viajarão até a aldeia para trazer Paiakan. Pelo acordo que está sendo costurado, o cacique não irá criar problemas. Uma das exigências dos líderes caiapós é de que ele não seja algemado. "O Paiakan não matou nem roubou ninguém", disse o cacique Megaron Txucarramãe.Os advogados da Funai entendem que o cacique já teria cumprido dois anos da sentença em regime de prisão domiciliar, na aldeia. Se tiver bom compartamento, teria de cumprir apenas mais um ano em regime fechado para beneficiar-se da liberdade condicional prevista em lei.Santos disse que os caiapós estão mais tranquilos pela forma como as negociações estão sendo encaminhadas. "Não vou falar nada, porque quem decide como isso será feito é o advogado da Funai", esquivou-se.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.