Cacique deu cocar, mas Aécio não o quis colocar

O cacique caiapó bem que tentou, mas o presidente da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG), recusou-se nesta quinta-feira a pôr o cocar que recebeu de presente. Mesmo sendo da nova geração, o deputado respeitou a antiga superstição política de que usar o adereço pode trazer má sorte."Meu avô usou pouco antes de morrer", justificou-se, mais tarde, o ressabiado parlamentar.O deputado esteve na Comissão da Amazônia para falar com mais de cem índios de várias tribos brasileiras, que protestavam contra a proposta do Estatuto do Índio, em tramitação na Câmara.Embora pintados para a guerra, os índios recepcionaram Neves com um cântico especial de saudação dos caiapós.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.