Cachoeira confirma que sofreu tentativa de extorsão de Waldomiro

Em depoimento encerrado na tarde desta segunda-feira na Superintendência da Polícia Federal em Brasília, o bicheiro Carlos Ramos, o "Carlinhos Cachoeira", nada acrescentou ao que havia dito há duas semanas ao Ministério Público Federal, a quem confirmou que o ex-assessor do Palácio do Planalto Waldomiro Diniz tentou extorqui-lo. Na saída da PF, após o depoimento, que durou um pouco mais de uma hora, Cachoeira não quis dar declarações, mas um dos cinco advogados que o acompanhavam confirmou que ele ratificou as declarações dadas a procuradores, nas quais teria afirmado que fez a gravação em que Diniz lhe pede 1% de um negócio que estava sendo tratado entre os dois. Durante o depoimento de hoje, o delegado Antonio César Nunes, que preside o inquérito, teve de advertir um dos advogados, que tentava interromper respostas dadas por Cachoeira. Logo mais, às 17 horas, o delegado César Nunes vai tomar depoimento do bicheiro Carlos Roberto Martins, de Goiás, que, em declarações anteriores ao Ministério Público Federal, confirmou as ligações de Carlinhos Cachoeira com Waldomiro Diniz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.