Ed Ferreira/AE
Ed Ferreira/AE

Caças também provocaram rachaduras nos vidros laterais do Planalto

Força Aeronáutica informou que vai ressarcir os prejuízos causados com o sobrevoo

Lu Aiko Otta - atualizado às 17h06,

02 de julho de 2012 | 15h07

O Palácio do Planalto informou que o sobrevoo de dois caças Mirage 2000 na Praça dos Três Poderes, durante a cerimônia de troca da bandeira nacional na manhã de domingo, provocou rachaduras em 28 vidros na lateral do prédio e também nas janelas do setor de Transportes, que fica num edifício anexo. O abalo também derrubou uma luminária no andar térreo, longe do gabinete da presidente Dilma Rousseff, que fica no terceiro andar.

O gabinete da presidente Dilma Rousseff fica no terceiro andar. Funcionários também relataram que encontraram uma camada de pó branco sobre as mesas, provavelmente devido ao abalo dos tetos de gesso.

O levantamento dos danos foi feito pela Secretaria Geral, que elaborou um relatório detalhado para enviar à Aeronáutica. A Força já informou que vai ressarcir os prejuízos.

O maior estrago da manobra de exibição dos caças foi provocado no prédio do Supremo Tribunal Federal (STF), que teve a fachada de vidro totalmente destruída pelo choque de ar causado pela passagem rasante das aeronaves. Também houve danos nas laterais e nos fundos do edifício. O Supremo informou que ainda não tem um levantamento oficial sobre o prejuízo, mas engenheiros estiveram no local ainda no domingo para fazer uma avaliação.

Tudo o que sabemos sobre:
caçasfabvidrosplanalto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.