Cabral minimiza crise com PT e destaca apoio a Dilma

'O apoio à presidente é total e absoluto. Não há semana em que eu não fale com um ministro e com a própria presidenta', diz o peemedebista

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

31 de maio de 2013 | 13h21

No momento que o PMDB e o PT do Rio estão em conflito aberto, o governador Sérgio Cabral (PMDB) procurou minimizar a crise e fez uma declaração de apoio ao governo da presidente Dilma Rousseff nesta sexta-feira, 31. "Em ano ímpar eu não discuto eleição. O apoio à presidente Dilma é total e absoluto. Não há semana em que eu não fale com um ministro e com a própria presidenta", disse Cabral, ao lado do ministro da Justiça, o petista José Eduardo Cardozo. Os dois inauguraram o Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na Cidade Nova, área central da cidade, que unificará ações das polícias estadual, federal, Forças Armadas e Corpo de Bombeiros.

Durante a Copa das Confederações, algumas salas e instalações do centro serão reservadas para funcionamento do comando nacional de controle e para articulação com as seis cidades onde haverá jogos. A sede do centro nacional de controle, em Brasília, está prevista para o início de 2014.

Os peemedebistas ameaçam retirar o apoio à reeleição de Dilma caso o senador petista Lindbergh Farias não desista da disputa pelo governo do Rio em favor do vice-governador Luiz Fernando Pezão, pré-candidato do PMDB. O próprio Cabral já disse em mais de uma ocasião que palanque duplo para a presidente "é esquizofrênico" e que "isso não acaba bem" e tem pregado a manutenção da aliança PMDB-PT no Estado.

Tudo o que sabemos sobre:
CabralapoioDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.