Cabral leva ao Senado proposta para legalizar jogo do bicho

Depois de sugerir a estadualização da legislação penal e a legalização do uso e do comércio de drogas, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB), levou nesta terça-feira, 6, mais uma proposta ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Cabral quer agora a liberação da prática do jogo do bicho e a regulamentação dos bingos. Ele alega que a "ilegalidade" de qualquer prática termina por estimular a corrupção."Quanto mais legalidade no processo, menos corrupção, mais receita para o Estado e mais controle social", alegou. "Quanto mais ilegalidade, mais corrupção."A receptividade entre os parlamentares às duas sugestões do governador foi péssima. Renan chegou a anunciar a criação de uma subcomissão para estudar a transferência para os Estados da competência de alterar a legislação penal, mas recuou, após perceber que não teria apoio nem mesmo de seus colegas de partido.Sobre o jogo do bicho, Sérgio Cabral afirma que mantê-lo como contravenção "é mais uma hipocrisia brasileira". "É uma hipocrisia do Brasil", repetiu. Segundo ele, a dona de casa que sai pela manhã e à tarde "para fazer sua fezinha no jogo, na calçada do bairro, não é criminosa por isso"."As pessoas não acham que ela é criminosa, mas o jogo é criminoso. Por que não legalizar?", questiona. O governador defende que é a proibição que leva à corrupção. "Vamos colocar sol e levar luz. E o poder público pode se beneficiar com receitas", sintetiza ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.