Cabral espera financiamento de até US$ 10 mi de Bird e BID

O governador eleito do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), espera obter do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e do Banco Mundial (Bird) financiamentos para projetos de seu governo de até US$ 10 milhões a fundo perdido durante o seu governo. A expectativa é fruto, segundo o governador, dos bons resultados de sua visita a Washington, na semana passada, quando se reuniu com a diretoria das duas instituições. Para Cabral, a companhia do governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), ajudou a abrir portas. "Fomos muito bem recebidos. Ter ido com o governador Aécio foi muito positivo, ele goza de muito prestígio com os dois organismos", disse. "A capacidade de endividamento do Estado é uma preocupação que os dois bancos de fomento têm."Com o desafio de fazer um duro ajuste fiscal, o governador eleito ouviu dos diretores dos bancos que ao atingir metas que indiquem a melhoria das condições de endividamento poderá ter acesso às linhas de financiamento para projetos que vão da infra-estrutura ao meio ambiente, passando por saúde, educação e transportes. Ele acredita que será possível fazer parte do "dever de casa" já no final do primeiro ano de governo. "Eu levei o projeto da Rocinha, que muito encantou os dois bancos. O BID, que já interage com o Favela-Bairro no Rio, se interessou muito pelo projeto", contou Cabral, referindo-se ao projeto de urbanização da favela carioca que tem orçamento inicial de R$ 80 milhões. SenadoCabral, que deixa o Senado no meio do mandato, defendeu a reeleição do presidente da Casa, Renan Calheiros (PMDB). "Apóio Renan para a recondução no Senado. Acho que ele fez um grande trabalho, com independência, com seriedade, com serenidade. Não tenho a menor dúvida de que ele continuará servindo ao Brasil como presidente da Congresso", disse o governador peemedebista, sem querer opinar sobre uma possível candidatura de seu partido para a presidência da Câmara. "Sou senador, não deputado", esquivou-se.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.