Cabral defende ''integração''

Diante da insistência do petista Lindberg Farias, prefeito de Nova Iguaçu, em se candidatar ao governo do Rio, o governador Sérgio Cabral (PMDB), que disputará a reeleição, adotou o discurso de que a divisão põe em risco a integração com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que tem garantido uma série de investimentos da União. "Aqui é Lula e Cabral e será Dilma e Cabral", afirmou o governador."No Rio não tem sentido que essa integração seja rompida por objetivos pessoais, personalistas, por ambições carreiristas, contra um projeto de integração que talvez seja o melhor exemplo entre os Estados brasileiros. Qualquer tentativa personalista, carreirista, de qualquer setor, de qualquer segmento, compromete essa coisa", afirmou o governador, quando indagado sobre o fato de a ministra Dilma Rousseff ter mais de um aliado na disputa pelo governo do Rio.Vaiado em festa de inauguração de obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) organizada por Lindberg em Nova Iguaçu, Cabral recebeu apoio de Lula, que assistiu de perto ao conflito entre PMDB e PT e elogiou a "lealdade" do governador.Cabral diz que a intenção de Lindberg de disputar o governo "é um direito". "Não vou impedir que A, B ou C seja candidato, mas acho que o conceito da integração está dando certo. Cabral e Dilma serão continuação de Cabral e Lula. Essa é a grande mensagem para o eleitor", diz o governador. Ele garante que tem "muitos amigos no PT do Rio" defensores da manutenção da aliança com o PMDB.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.