Cabral defende a discussão sobre a legalização do aborto

O governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB), defendeu nesta quarta-feira que seja discutida a questão do aborto no Brasil, pouco antes do lançamento de uma campanha para prevenção da gravidez precoce, que será divulgada em escolas, hospitais, na televisão, no rádio, em jornais, outdoors, ônibus e na internet. Também faz parte da campanha um blog com participação da funkeira MC Perlla, de 18 anos, garota-propaganda da campanha cujo tema é "Se cuida. Gravidez tem hora"."A questão do aborto é uma discussão que tem que ser feita, principalmente pelas mulheres. Estamos lançando essa campanha contra a gravidez precoce, de conscientização, com uma moça que é um talento musical, que faz sucesso junto à meninas, que vai falar ao coração delas da importância da prevenção", disse o governador. Segundo ele, a "realidade hoje é hipócrita". "Quarenta e quatro mil meninas por ano no Rio ficam grávidas. É um número assustador. Será que é este o caminho? Nós temos que discutir isso. Isso é a vida como ela é. Temos que discutir a vida real."O número de adolescentes grávidas é da Secretaria Estadual de Saúde. Está prevista a distribuição de preservativos para adolescentes a partir de abril - serão 360 mil por ano. O ministro da Saúde, Agenor Álvares, participou do lançamento. "A campanha é importante porque vai nos ajudar a prevenir um problema social, mas muito mais importante na questão da saúde pública. É nesta faixa etária que ocorre a maior incidência de aids entre as mulheres, temos que avançar nisso", declarou o ministro.Cabral disse que cumpria um compromisso assumido na campanha eleitoral. "Eu frisei que não faria oba-oba, que a publicidade no meu governo não teria caráter de auto-promoção. A questão da gravidez precoce sempre me preocupou muito", afirmou o governador, que tem cinco filhos e recentemente fez uma operação de vasectomia. No discurso, ele pediu que entidades que trabalham com planejamento familiar entrem em contato com o governo para eventuais convênios. O secretário da Saúde, Sérgio Côrtes, disse que não se pode associar gravidez não planejada com criminalidade. "Podemos associar sim com uma interrupção da vida natural da mulher. Não existe nenhum trabalho que atribua gravidez indesejada à criminalidade."A funkeira dá sua opinião: "Eu acho que tem que curtir, mas tem que se cuidar. Porque se isso tivesse acontecido comigo com certeza eu não estaria aqui", diz Perlla em um dos trechos da campanha que será divulgada pela TV. Em cartazes, frases como "Se seu namorado não quer usar camisinha, ele é um tremendo vacilão" e "Se ele quer sem camisinha, quem não quer sou eu".Ilegalidade de drogasCabral também quer uma discussão sobre a ilegalidade das drogas, e acha que a questão criminal deve ser revistas. Para o governador, este é um debate que o mundo tem que enfrentar. Ele lembrou que Europa e Estados Unidos já vêm discutindo a questão.Em sua opinião, o fato de o consumo, porte e comercialização de drogas ser considerado crime, estimula a mortandade e o tráfico de armas. Ele comentou que milhares de pessoas morrem por envolvimento na questão de drogas. "O mundo vive uma outra realidade", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.