Cabral ameaça renunciar e sair candidato à prefeitura

O governador Sérgio Cabral (PMDB) ameaçou ontem renunciar ao cargo para se candidatar à prefeitura do Rio. Foi sua reação ao pacto anunciado entre o prefeito Cesar Maia (DEM) e o grupo de Anthony Garotinho, presidente do PMDB fluminense, para lançar candidato à sucessão municipal. No site de Garotinho, o acordo foi divulgado como uma união contra o PT do presidente Lula."Não vou brigar contra Lula. Ele é meu parceiro político e administrativo. Nós fizemos uma aliança que tem dado certo e tudo o que estiver na direção contrária a isso, não farei", afirmou o governador, depois de participar de cerimônia de lançamento da pedra fundamental de uma nova siderúrgica em Resende, no sul do Estado. "Se for necessário, deixarei em março o vice-governador, Luiz Fernando Pezão, em meu lugar, me desincompatibilizo, renuncio e me candidato à prefeitura do Rio." O governador não falou, porém, em deixar seu partido.Pezão confirmou ontem que Cabral pensa em deixar o governo estadual em suas mãos para concorrer à prefeitura. "Ele falou sério. Logo cedo ele me chamou, disse que estava pensando nisso, que iria anunciar isso à imprensa", disse. Segundo ele, o governador também teria avisado o presidente Lula. "Cabral me disse que faria isso para salvar a aliança com o presidente Lula e preservar os interesses do Rio."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.