Cabral abre concorrência para comprar novo helicóptero

Após dobrar gastos com jatos executivos, governador do Rio quer novo veículo; frota do Estado já conta com cinco aeronaves

Bruno Boghossian e Alfredo Junqueira, de O Estado de S.Paulo

21 de julho de 2011 | 18h36

RIO - Além de ter dobrado seus gastos com o fretamento de jatos executivos, o governo do Rio de Janeiro abriu concorrência para comprar um novo helicóptero - o sexto da frota usada por suas principais autoridades. A nova aeronave, com valor máximo de R$ 18,2 milhões, será usada para os deslocamentos do governador Sérgio Cabral (PMDB) e do vice Luiz Fernando Pezão. O governo do Rio já conta com cinco helicópteros em sua frota.

O novo aparelho deverá ter capacidade mínima para oito pessoas (incluindo piloto e co-piloto) e autonomia de voo de até 2h30. O helicóptero terá assentos em couro, carpete, iluminação individual para leitura, isolamento sonoro e uma caixa térmica ou geladeira. A ampliação da frota de helicópteros deve elevar custos de manutenção de aeronaves do governo do Rio.

Em seu primeiro mandato, Cabral pagou uma média de R$ 1,75 milhão por ano à Líder Signature, empresa pertencente ao grupo que controla a Líder Táxi Aéreo, para a manutenção de seus helicópteros. Nos quatro anos anteriores, a média foi de R$ 914 mil.

"As difíceis condições de tráfego tendem ao agravamento das dificuldades por vias terrestres, sendo muitas vezes impossível de se prever o tempo dispensado para um determinado trajeto", descreve um dos anexos do edital. "A capacidade de rápido deslocamento permite ao governante manter presença constante nos pontos mais distantes do Estado, bem como ter uma agenda de trabalho mais dinâmica e eficiente", diz o documento. Os secretários também poderão utilizar os helicópteros, mediante autorização da Secretaria da Casa Civil.

Nesta quinta-feira, 21, o Estado revelou que Cabral aumentou em 131% o valor dos contratos para aluguel de jatos. Entre 16 de julho de 2007 e 15 de julho deste ano, o governo destinou R$ 10,25 milhões à Líder Táxi Aéreo. Nos quatro anos do governo anterior, o valor dos contratos com a empresa foi de R$ 4,43 milhões. A Líder informou que todos os serviços prestados ao governo do Rio são frutos de licitações públicas e declarou ser uma empresa idônea.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.