Cabos eleitorais do PT e do DEM brigam em visita do prefeito à Paulista

Não são apenas os candidatos a prefeito que travam uma disputa acirrada, repleta de trocas de acusações e bate-bocas. Ontem, cabos eleitorais de Gilberto Kassab (DEM) e Marta Suplicy (PT) trocaram agressões, verbais e físicas, durante caminhada de campanha do prefeito, na Avenida Paulista. O encontro estava agendado para as 12 horas. Na avenida, um dos principais cartões postais de São Paulo, bandeiras de Kassab e Marta dividiam o espaço aéreo pacificamente. Até a chegada do candidato e de seus assessores, na altura do Parque Trianon.Logo que ele desceu do carro, militantes do PT ofenderam a comitiva e a discussão passou a ser com os cabos eleitorais do DEM, em maior número.A confusão maior começou quando um grupo de 20 correligionários de Marta tentou se aproximar do prefeito, que fazia uma "marcha com cadeirantes" pela Paulista. Os petistas, entoando palavras de ordem, foram impedidos por militantes da campanha de Kassab, que formaram uma barreira.EMPURRÕES E TAPASO prefeito foi rapidamente levado para longe da confusão. Alguns metros atrás de sua comitiva, o clima esquentou com ofensas e palavrões dos dois lados, além de empurrões e tapas. O conflito aconteceu a pouco mais de dez metros do local em que Kassab parou para dar uma entrevista coletiva aos jornalistas. Com o tumulto, o carro de som do prefeito elevou o volume do jingle para encobrir as agressões verbais, o que fez com que ele interrompesse sua primeira resposta.Cabos eleitorais de Kassab relataram ter sido agredidos com bandeiradas na cabeça. Os petistas ouvidos pela reportagem preferiram não comentar as agressões.Ao ser informado sobre a presença de militantes de Marta nas proximidades do evento, Kassab tentou mostrar indiferença. "Se coincidir (o local de campanha), que haja respeito. A convivência é saudável", disse.A confusão acabou sem maiores problemas. Separados pelos integrantes da campanha de Kassab, cabos eleitorais do DEM foram para um lado da avenida, enquanto os do PT ocuparam o canteiro central.O coordenador de mobilização de rua da campanha de Kassab, Sérgio Kobayashi, afirmou que até o momento não foram registrados na disputa episódios de conflito entre militantes que tivesse resultado em intervenção da polícia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.