Rafael Italiani|Estadão
Rafael Italiani|Estadão

'Bye, bye tristeza' vira 'tchau, tchau querida' na Paulista

Fala de Lula em grampo divulgado pelo juiz Sérgio Moro vira paródia de múysica de Sandra de Sá entre os manifestantes na capital paulista

Rafael Italiani, O Estado de S. Paulo

17 Abril 2016 | 17h40

Nem Legião Urbana, nem Cazuza. A música que mais toca na Avenida Paulista, tirando risadas e aplausos dos manifestantes, é uma versão de "Bye bye tristeza", canção que ficou famosa com a cantora Sandra de Sá. A versão dos ativistas faz referência ao grampo telefônico da conversa entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, divulgado com a autorização do juiz federal Sérgio Moro.

Na conversa, o petista de despede da chefe de Estado com um "tchau, querida". Na ocasião, Dilma garantia ao ex-presidente o documento de posse para ele ser ministro da Casa Civil. A nomeação foi suspensa pelo STJ, por suspeita de que Lula usaria o cargo para fugir da prisão, na investigação do triplex do Guarujá e do sítio em Atibaiai. O "tchau, querida" também está em cartazes e camisetas de manifestantes.

Entre essas pessoas estava a estudante de Direito Stephanie Assunção, de 20 anos. Moradora do Embu-Guaçu, ela defende novas eleições. "Em vez de impedimento, deveriam propor eleições gerais. O Congresso Nacional não pode chamar a responsabilidade para ele, tem que delegar ao povo a escolha", afirmou.

Com um salário de R$ 2.000, ela diz que "sobrevive" com o salário por conta da crise econômica, na maior retração que o País vive desde a década de 1990. "O dinheiro não dura nada, a gente deixa de ir no cinema para não gastar. Eu me viro sozinha com aluguel, tarifa de transporte e mensalidade da faculdade. Nunca consegui um benefício-social", contou a jovem que está na fila do Fies. "Congelaram o financiamento."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.