Bush manda bilhete para Fernando Henrique

O presidente Fernando Henrique Cardoso recebeu nesta quinta-feira um bilhete manuscrito em que o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, lhe agradece por ter atendido seu pedido para interceder junto ao presidente da República Popular da China, Jiang Zemin.Durante encontro com Zemin no Palácio do Planalto, na tarde desta quinta-feira, Fernando Henrique conversou com o colega chinês sobre o conflito gerado entre EUA e China depois que os americanos derrubaram acidentalmente um avião chinês.No bilhete, Bush agradece a agilidade de Fernando Henrique no episódio. "Caro Fernando Henrique, obrigado por sua ajuda em resolver nosso problema com a China. Você foi muito gentil ao responder tão rapidamente. Obrigado pela amizade. Cordialmente, George Bush", diz a nota.Cópia da mensagem de Bush foi divulgada pelo assessor especial do gabinete do presidente, embaixador Eduardo dos Santos.Apesar de o governo chinês ter aceito na quarta-feira o pedido de desculpas de Bush, o que começou a dissipar o conflito, Fernando Henrique decidiu transmitir a Zemin o teor da conversa que teve pelo telefone com Bush, na terça-feira, atendendo a pedido do próprio Bush.De acordo com o Palácio do Planalto, Fernando Henrique disse a Zemin que estava satisfeito com a resolução do problema mais imediato com os EUA.Ele referia-se à decisão do governo chinês de libertar os 24 tripulantes do avião da inteligência da Marinha americana que estavam sendo retidos na China desde a semana passada.O avião americano derrubou, acidentalmente, uma aeronave chinesa, provocando a morte do piloto.Mas o incidente diplomático ainda não chegou ao fim. No dia 18, haverá um encontro entre membros do governo chinês e americano para discutir o acidente.Segundo informações do Palácio do Planalto, Fernando Henrique propôs o encontro privado, logo depois da reunião de uma hora entre Zemin, acompanhado de sua comitiva, e Fernando Henrique e seus ministros.Nessa reunião, foram tratados diversos assuntos, como a aliança estratégica entre os dois países.Fernando Henrique chegou a propor a Zemin que a China adiantasse a redução tarifária para as exportações de soja e de óleo de soja, antes de a China entrar na OMC.Não obteve resposta, mas reforçou o pedido em seu discurso, antes do jantar oferecido a Zemin no Itamaraty.O presidente chinês agradeceu o apoio do Brasil para o pedido de adesão da China à OMC e encerrou seu discurso no jantar dizendo cinco frases de saudação em português.O Brasil tem interesse em ampliar as relações comerciais com a China, um mercado potencial de 1,2 bilhão de consumidores, mas altamente protegido.Em troca do apoio à China, o Brasil negociou reduções tarifárias para as exportações de alguns produtos. Mas as novas regras só vão valer depois que a China entrar na OMC.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.