Bush deveria ter falado mais na ONU sobre crise, diz Lula

Presidente esperava que Bush falasse sobre rumos da economia nos EUA.

Bruno Garcez, BBC

23 de setembro de 2008 | 19h54

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta terça-feira ter se decepcionado com o fato de o presidente americano, George W. Bush, na Assembléia Geral da ONU, ter feito poucas menções à crise econômica mundial em seu pronunciamento. "Eu esperava que ele fosse falar da crise econômica, porque achei que era a coisa mais importante nesse momento", afirmou o presidente. "Achei que ele fosse fazer um discurso de despedida e falar um pouco da crise econômica, ou seja, o que o governo americano pretende fazer. Ele fez a opção de voltar a falar de terrorismo", comentou Lula.O presidente imaginou que a economia seria um tema natural no pronunciamento, visto que o líder americano está se despedindo do cargo e há grande expectativa em saber quais caminhos os Estados Unidos pretendem adotar nesse campo.O próximo presidente dos Estados Unidos será conhecido após as eleições do dia 4 de novembro e tomará posse em 20 de janeiro de 2009."Quieto"Lula conversou com a imprensa brasileira após ter realizado o seu pronunciamento na abertura da Assembléia, que foi seguido pelo discurso de Bush. Ao contrário de Bush, que não dedicou mais que um minuto de seu discurso à turbulência financeira, Lula fez inúmeras menções ao tema."Eu, obviamente, como sou defensor da autodeterminação dos povos e da soberania dos discursos dos presidentes, fui obrigado a ficar quieto", disse o mandatário brasileiro, comentando as opções de temas feitas por Bush. Para o ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, a discrepância entre os discursos de Bush e Lula é natural. "Nós sabemos que há visões diferentes. Desde o primeiro discurso que o presidente Lula fez aqui, havia um contraste entre o discurso dele, com ênfase em fome e pobreza, e o do presidente Bush, com ênfase em terrorismo. Cada um tem suas prioridades e cada um vê o mundo a sua maneira", afirmou o chanceler.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.