Bush chega ao Brasil; Exército bloqueia avenidas de SP

O Air Force One pousou por volta das 20h05 desta quinta-feira, 8, no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos. No momento em que o presidente norte-americano, George W. Bush, chegava, homens do Exército bloquearam avenidas da capital paulista. Nas proximidades do Hotel Hilton, onde Bush passará a noite, a Avenida Berrini foi totalmente bloqueada pelos militares.Segundo informações da Infraero, o tráfego aéreo não foi interrompido e o Air Force One entrou na grade normal de aterrissagens, sem prejudicar nenhum pouso ou decolagem.A comitiva do Bush surgiu na avenida Luiz Carlos Berrini às 20h55. Eram cerca de 40 carros grandes que acompanhavam duas limusines. Acredita-se que Bush e sua mulher estavam na segunda. A expectativa inicial era de que o veículo com Bush entrasse pela avenida John Bird, no entanto, a comitiva se dividiu logo ao chegar no hotel. Uma parte entrou pela Berrini e a outra, pela rua Arizona.As primeiras informações são de que o presidente americano tenha entrado no hotel pelo subsolo da torre sul, mas não se sabe como a comitiva se dividiu e por onde efetivamente ele entrou.Populares cercavam o lugar, principalmente crianças e jovens que moram no Brooklyn, bairro próximo ao hotel. A dona de casa Deizse, 25 anos, trouxe a filha de 2 anos no colo, toda a família e os vizinhos para tentar ver Bush. "O que a gente queria é que ele saísse do carro e acenasse para nós. Mas isso eu sei que é quase impossível. Se eu conseguir ver o carro, já vou ficar feliz. Não é todo dia que o Bush vem aqui, a duas quadras de minha casa."RecepçãoA recepção foi rápida. Ao descer do avião, presidente conversou durante poucos minutos com a comitiva brasileira, entrou em uma das duas limusines que o esperava e seguiu com outros aproximadamente 40 carros para o Hotel Hilton. Ele desceu junto com sua mulher, Laura Bush, com a secretária de Estado, Condoleezza Rice, e outros membros da comitiva de Estado.Foi recebido pelas seguintes autoridades: prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, embaixador brasileiro em Washington, Antonio Patriota, secretário municipal de relações internacionais, Alfredo Cutait, superintendente regional da Infraero, Edgard Brandão Junior, cônsul geral americano no Brasil, Christopher McMuller, e embaixador do Itamaraty Jadiel Oliveira. Além de ser rápida, a recepção não teve nenhum tipo de pompa, como tapete vermelho estendido.ImprensaPor questões de segurança, cinegrafistas e fotógrafos deixaram equipamentos no chão para que cães farejadores da segurança norte-americana os farejassem. Em seguida, os próprios agentes abriram e revistaram os equipamentos.Matéria ampliada às 21h31

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.