Busca por destroços do avião entra em nova fase, diz França

Estado Maior das Forças Armadas da França diz que navios deverão rastrear área mais restrita do Atlântico.

Daniela Fernandes, BBC

03 de junho de 2009 | 08h42

As operações de busca dos destroços do voo 447 da Air France entram nesta quarta-feira em uma segunda fase, que passará de uma operação aérea cobrindo uma ampla área sobre o Oceano Atlântico a uma operação naval em uma zona mais restrita, disse à BBC Brasil o porta-voz do Estado Maior das Forças Armadas da França, comandante Christophe Prazuck.

"Esta quarta-feira é um dia de transição", diz o militar francês. Segundo ele, as buscas aéreas continuam sendo efetuadas, mas essa etapa da operação "vai durar algumas horas".

A segunda fase, "que irá durar dias", consiste em recuperar, com navios, os destroços encontrados, que serão analisados em perícias técnicas.

Os três navios mercantes presentes na área, um francês e dois holandeses, e os da Marinha brasileira começam a recuperar os destroços do avião. Em breve, eles receberão o auxílio de dois navios militares franceses, que já estão a caminho do local.

Os navios Ventôse e Foudre devem chegar, respectivamente, na sexta-feira e no sábado à área das buscas.

Mapeamento

Para reforçar as operações aéreas, que continuam sendo efetuadas, a França enviou dois aviões Atlantique 2 e um Falcon 50, além de um avião-radar Awac, que vão realizar, nesta quarta-feira, um mapeamento dos destroços para tentar determinar o local do acidente.

Após a fase de recuperação dos destroços, que levará dias, a próxima etapa será a de encontrar as caixas-pretas do voo 447 da Air France.

"A localização das caixas-pretas pode levar semanas", afirma Prazuck. Mas um responsável do Escritório de Investigações Áreas da França (BEA, na sigla em francês), que realiza investigações sobre acidentes da aviação civil, reconheceu, nesta quarta-feira, "que as caixas-pretas podem nunca ser encontradas".

Nesta quarta-feira o Estado Maior das Forças Armadas da França confirmou que "não há dúvidas de que os detroços encontrados são do A330 da Air France".

Prazuck disse à BBC que essa declaração foi feita "em função dos elementos fornecidos pelas autoridades brasileiras em relação ao tipo dos destroços e sua localização em relação à área prevista do acidente".

Mas ele afirma que uma "confirmação formal", após análises técnicas, ainda é necessária.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.