Busca por assassino de prefeito liberta empresário de 75 anos

As investigações para a prisão dos suspeitos do seqüestro e assassinato do ex-prefeito de Santo André Celso Daniel (PT) levaram nesta quarta-feira a polícia a libertar outra vítima, que era mantida havia cerca de 20 dias num cativeiro, em Ibiúna, interior do Estado de São Paulo. Os policiais da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) saíram em busca de um homem identificado apenas como Itamar, o suposto líder do bando que matou Celso Daniel, mas acabaram libertando o empresário Francisco Faria Machado, de 75 anos. Enquanto prosseguiam os depoimentos sobre o caso - foram ouvidas a ex-mulher do prefeito Miriam Belchior, os seguranças dele e policiais militares - o delegado Armando de Oliveira da Costa Filho seguia para Ibiúna em busca de uma pista de Itamar. Além dele, são considerados suspeitos os criminosos conhecidos por "André Cara Seca", "Bozinho", "Cara de Gato", "Serginho" e "Kiti". Todos foram indicados por Manoel Dantas de Santana Filho, o "Cabeção", que está preso temporariamente.No Condomínio Portal das Águas, no km 6 da Estrada do Uverava, em Ibiúna, os policiais localizaram Machado algemado, com os pés amarradas e os olhos vendados. Ele é dono de postos de gasolina e de lojas em Itapecerica da Serra. O DHPP prendeu o seqüestrador Reginaldo Rosa. Ele estava com uma pistola calibre 380.Machado - que foi levado para um hospital da região - foi seqüestrado no dia 15 de janeiro, e os criminosos já haviam iniciado as negociações para o pagamento de resgate. Rosa foi levado para a Divisão Especializada Anti-Seqüestro (Deas), onde foi autuado em flagrante.Nesta quinta-feira, o DHPP deverá divulgar o retrato falado de Itamar. O retrato foi feito com base no depoimento prestado por "Cabeção". Os suspeitos teriam guardado um dos veículos utilizados no crime - um Santana azul -, na garagem de uma casa de sua propriedade, na Favela Pantanal. O Santana encontrado nesta terça-feira em Taboão da Serra, ainda será periciado.A ex-mulher de Celso Daniel saiu nesta quarta-feira do prédio do DHPP sem dar declarações. O deputado federal Luiz Eduardo Greenhalgh (PT), indicado pelo partido para acompanhar a apuração, disse que Miriam falou sobre sua vida com Celso Daniel, entre outras informações. O deputado ressaltou o encontro do cativeiro em Ibiúna pelo DHPP. "Resta saber se esse cativeiro tem ligação com o caso Celso Daniel".Nesta quarta-feira, a Polícia Federal apreendeu um filme do circuito fechado de TV da locadora Blockbuster em Santo André, onde o prefeito Celso Daniel esteve na noite de sexta-feira, 18 de janeiro, poucas horas antes de ser seqüestrado. A fita foi encaminhada ao Instituto de Criminalística.O delegado Hermes Rubens Siviero Júnior, que preside o inquérito federal sobre a morte do prefeito, solicitou aos peritos que identifiquem o trecho em que a câmera captou a imagem de Celso Daniel. O objetivo da PF é verificar qual a roupa que o prefeito usava no momento em que chegou à loja e se alguém o acompanhava.Celso Daniel foi à Blockbuster devolver uma fita que havia alugado, segundo relatou a socióloga Ivone de Santana, sua ex-namorada. A dúvida do delegado surgiu depois que o empresário Sérgio Gomes da Silva - amigo do prefeito - informou que na noite do crime Celso Daniel usava calça bege. Quando o corpo do prefeito foi encontrado - na manhã do dia 20 de janeiro -, estava vestido com uma calça jeans.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.