Burla a teto salarial no TCE será investigada

O Ministério Público de Minas vai investigar denúncia de que conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) estariam recebendo pagamento de abonos ilegais. O teto dos Estados é de R$ 22,1 mil, mas constatou-se que em 2007 o conselheiro Elmo Braz informou rendimentos tributáveis de R$ 342.356,25, além de R$ 163.123,03 de verba indenizatória - o que representa média mensal de R$ 42,1 mil. O TCE nega irregularidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.