Bucci deixará a presidência da Radiobrás

O jornalista Eugênio Bucci deixará a presidência da Radiobrás nesta quinta-feira, 19. Será substituído por José Roberto Garcez, atual diretor de jornalismo da empresa. Garcez é filiado ao PT, ligado ao ex-ministro Olívio Dutra. Bucci sai cinco meses e vinte dias depois de ter posto o cargo à disposição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de ter resistido à pressão petista para que transformasse a Radiobrás num aparelho do partido, com notícias favoráveis à administração de Lula.Ele disse que sua saída nada teve a ver com o descontentamento do PT a respeito de sua administração. Considera que o debate sobre a comunicação nas estatais foi até bom para a sociedade brasileira. "Depois da publicação da notícia de que havia uma pressão para que a Radiobrás trabalhasse informações favoráveis ao governo, o debate sobre o assunto se ampliou", disse. "Tive a oportunidade de dizer que a comunicação a cargo da autoridade pública, seja institucional ou estatal, não pode ser utilizada como ação de propaganda".Bucci disse que a escolha de seu substituto mostra que não haverá mudança no conteúdo da programação da Radiobrás. "O Garcez é também autor do projeto de comunicação atual da empresa. Significa que posso sair sem que haja interrupção na forma de administrá-la". Bucci afirmou que pretende tirar uma quarentena - embora ela não lhe seja obrigatória - antes de voltar ao mercado. "Acho que a quarentena será boa até para minha saúde".Ele não abandonará o debate a respeito da criação de uma rede pública de TV e de rádio, que o ministro Franklin Martins pretende instituir até o fim do ano. Em maio, Bucci comandará um novo fórum sobre o assunto. Disse que se pôs à disposição do governo para continuar a tratar da rede pública. Franklin pretende usar a estrutura da Radiobrás e das TVEs do Rio de Janeiro e do Maranhão para dar início à implantação da rede pública.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.