Brizola diz que vai processar o filho, a Veja e o PT

O ex-governador Leonel Brizola, presidente nacional do PDT, afirmou nesta segunda-feira à tarde, em entrevista coletiva, que vai exigir reparações morais na Justiça e processar criminalmente a revista Veja, o PT do Rio Grande do Sul e o próprio filho, o ex-deputado José Vicente Brizola, em razão da reportagem publicada na edição desta semana da revista, segundo a qual o patrimônio do ex-governador teria quadruplicado no período de 20 anos, chegando a R$ 15 milhões em 2001.Brizola afirmou que o dinheiro que levou clandestinamente para o exílio no Uruguai, em 1966, foi obtido com a venda, no Brasil, de todos os bens herdados por sua mulher, Neusa Brizola, que morreu há oito anos e era irmã do ex-presidente João Goulart.Ele não falou em valores, disse apenas que seu patrimônio seria resultado de investimentos feitos com esses recursos em atividades agropecuárias no Uruguai.?Vamos falar sobre números no Judiciário, através de nossos advogados. Veja mostra suposições e insinuações maldosas. Vou querer indenização por esta lesão e responsabilizar criminalmente os autores. Será a guerra aos Civita?, afirmou o ex-governador, referindo-se à família que controla a editora Abril, responsável para revista Veja.Brizola disse que tem recebido e-mails agressivos e ameaçadores do filho desde que ele trocou o PDT pelo PT, no fim do ano passado ? numa das mensagens, José Vicente teria insinuado que procuraria a revista.O ex-governador disse desconhecer a razão dos ataques, mas afirmou que o filho estaria enfrentando problemas com álcool e drogas. Segundo ele, José Vicente, que ocupa a direção da Loteria Estadual no governo gaúcho, estaria sendo incentivado pelo PT do Rio Grande do Sul, que teria interesse na divulgação das acusações como represália ao PDT, partido que está à frente das investigações da CPI da Segurança Pública na Assembléia gaúcha.Em entrevista de cerca de duas horas, na sede do diretório do partido, Brizola, emocionado, disse que está surpreendido com o ?espírito mórbido? do filho.?A degradação humana é uma coisa triste, e quando o indivíduo é o filho da gente, dói bastante. Mas neste ponto sou anglo-saxão: se os filhos cometem crimes, não há por que não responsabilizá-los?, disse ele.?Fizemos o inventário há oito anos, depois da morte de Neusa, sem deixar nada de fora. Procurei ser justo com relação aos filhos e dei a José Vicente exatamente tudo o que ele quis, até com certo favorecimento. Ele foi tratado a pão-de-ló e agora está brigado com os irmãos, os filhos e comigo, de maneira surpreendente.?O ex-governador afirmou durante a entrevista que seu filho está numa área ?extremamente perigosa? no governo gaúcho, como diretor da Loteria Estadual, e disse que o Rio Grande do Sul ?foi transformado em um cassino pelo governo petista?.?O PT não poderia ter feito isso comigo, mas ainda espero um pronunciamento de solidariedade do partido.?Brizola designou os advogados José Roberto Battochio (área criminal) e Carlos Augusto Siqueira Castro (cível) para o caso.O ex-governador disse, ao final da entrevista, que chegou a vender leitão na feira durante o período de 13 anos em que morou no Uruguai. ?Nós nos descapitalizamos no Uruguai. Vida de exilado é assim, com dinheiro na mochila?, declarou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.