Brizola diz que reforma não pode tirar direito de trabalhador

O presidente do PDT, o ex-governador do Rio Leonel Brizola, afirmou que a reforma da Previdência, entregue nesta quarta-feira ao Congresso pelo presidente Lula, não poderá ter nada que tire o benefício do trabalhador. "Nada é intocável, mas só se pode acrescentar direito e não tirá-lo", disse antes de discursar no evento em comemoração ao Dia do Trabalho que a Força Sindical realiza na Praça Campo de Bagatelle, na zona Norte de São Paulo. Brizola, que não quis comentar pontos específicos da reforma, disse ainda que é cedo para avaliar o governo Lula e que nenhuma medida que diminua os direitos do cidadão foi tomada até o momento pelo presidente. Brizola vem criticando sistematicamente pontos da reforma como a taxação dos servidores inativos. Segundo ele, o Brasil "tem tido azar" com seus dirigentes e não pode perder a oportunidade de ter sorte com Lula. Brizola afirmou também que apoiaria uma eventual candidatura do presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, o Paulinho, para a Prefeitura de São Paulo. Além dos discursos de Brizola e Paulinho, está sendo aguardada a presença do líder do governo na Câmara, Aldo Rebello (PCdoB-SP). Estão programados ainda shows de Zezé Di Camargo e Luciano, Chitãozinho e Xororó.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.