Brizola diz que PT priorizou interesse público ao negociar reforma

O presidente nacional do PDT, Leonel Brizola, disse que o PT e o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva priorizaram o interesse público ao admitir negociar pontos da reforma da Previdência, especialmente no que se refere à integralidade na aposentadoria de servidores públicos. "Às vezes, um partido sectário, pretencioso e auto-suficiente como é o PT, pratica um ato de colocar o interesse público acima de suas pretensões partidárias", disse, ao chegar à Assembléia Legislativa de São paulo, onde participa da divulgação da nova direção estadual do PDT. Brizola disse, no entanto, que a mudança de postura do partido na negociação da reforma não é suficiente para que ele, pessoalmente, volte a apoiar a administração Lula. "Busco o interesse público e gostaria que o governo Lula tomasse a direção do interesse público e não ficasse apenas preocupado com a ação política. Está na hora de o PT começar a aprender a governar", afirmou. O presidente do PDT avaliou que, ao possibilitar a integralidade de aposentadoria do funcionalismo, o governo permite aos "pequenos" poderem ter uma aposentadoria mais digna e que o correto será combater "privilégios, absurdos e deformações". "O governo precisa ter coragem para meter a mão nos absurdos, corrigir os erros, seja de quem for", afirmou. Para Brizola, estipular um teto para aposentadoria não é o melhor caminho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.