Brizola diz que PT atua como um partido fascista

O ex-governador Leonel Brizola voltou a atacar na noite passada o PT, dizendo desta vez que a forma com que o partido atua lembra o fascismo. Entrevistado no programa ?Roda Viva?, da TV Cultura, o presidente nacional do PDT descartou a possibilidade de candidatar-se à sucessão de Fernando Henrique, bem como de vir a apoiar a candidatura Lula. Ele admitiu marchar ao lado de Itamar Franco, mas disse que seu sonho é lançar um candidato próprio do PDT, de preferência um negro, acenando para tanto com o nome de seu correligionário Alceu Collares. Sobre Ciro Gomes, explicou que a filiação de seu adversário Antonio Brito ao PPS gaúcho o impossibilita de subir no palanque do ex-governador cearense, pelo menos no Rio Grande do Sul.O PTBrizola deu sua explicação para comparar os petistas aos fascistas. "É muita militância, muita organicidade. Isso não é bom. Sabe por quê? Porque concentra muito o poder na mão de certos níveis das categorias sociais." Em seguida, disse ser muito difícil uma coligação com o PT. "Eles dizem assim: ´queremos a união, desde que seja em torno do nosso candidato´´´. Lembrou que, em 89, deu uma demonstração de boa-vontade ao apoiar a candidatura Lula no segundo turno. E, em troca, viu o PT massacrar a gestão Alceu Collares, eleito para o governo gaúcho naquele ano, pelo PDT. "O que eles (os petistas) fizeram com o Collares na CPI da propina! O pobre do negrão ficou louco! Depois, o Collares se desentendeu com a esposa dele, e casou com uma outra, que disseram que era loura. Transformaram aquilo num caso mórbido. Eu não posso fazer aqui o gesto que eles faziam para o Collares (na ocasião)."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.