Brizola defende chapa Itamar-Ciro

O presidente nacional do PDT, Leonel Brizola, defendeu na tarde desta quinta-feira uma chapa para as eleições de 2002 composta pelo governador de Minas Gerais, Itamar Franco, e o ex-ministro Ciro Gomes, sem, no entanto, definir quem seria o candidato à Presidência. "Itamar e Ciro Gomes, separados, perdem. Mas se eles se unirem, ganham", disse Brizola, que está em Brasília para discutir a possibilidade de se implantar uma urna eletrônica segura, que permita a impressão do voto. Brizola acusou o pré-candidato do PT à Presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva, de assumir um "perfil tucano", em defesa, segundo ele, de um programa muito próximo ao de Fernando Henrique Cardoso. Brizola sugeriu que Lula tomasse "um bom banho para tirar o ranço da manteiga que estão botando em cima dele", referindo-se a um dos economistas que está na equipe de elaboração do programa de Lula, Guido Mantega. Em relação a Itamar Franco, Brizola disse que será uma grande honra para o PDT recebê-lo em seus quadros, caso o governador não consiga se candidatar pelo PMDB. Na avaliação de Brizola, a convenção do PMDB no dia 9 de setembro será importante e definitiva para a situação de Itamar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.