Brizola ataca FHC, Garotinho e Benedita

O presidente nacional do PDT e ex-governador do Rio de Janeiro, Leonel Brizola, realizou no final da tarde desta quinta-feira uma visita ao governador de Minas Gerais, Itamar Franco, hospedado no Hotel Cad´oro, na zona central de São Paulo. Na chegada ao local, Brizola culpou o presidente Fernando Henrique Cardoso pelo racha no PMDB, dividido entre as candidaturas de Michel Temer e de Itamar para a presidência do partido. "Causa até uma certa indignação o fato de que atrás de tudo isso se encontre o presidente da República. Ele não é do PMDB. Então por que é que está se metendo?", pergunta Brizola. Ele também não poupou o governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho (PSB), seu ex-aliado, das críticas. "Ele anda enlouquecido para ser candidato (à presidência daRepública) misturando religião com política. Ele se meteu com esses que se proclamam evangélicos, mas que na verdade são os mercantilistas", ataca Brizola.Segundo o ex-governador, Garotinho está abandonando o Estado. "O Garotinho não abandonou formalmente o Rio, mas o Estado está entregue às moscas".Perguntado se Itamar também não estaria abandonando o governo ao pedir a licença de 43 dias do cargo, Brizola tomou a defesa do governador mineiro. "Ele assumiu umaatitude correta. O que ele tem de fazer mesmo é se dedicar à campanha e passar o seu lugar para o vice. Já o Garotinho não. Ele não deixa ninguém lá porque a Benedita (Benedita da Silva, vice-governadora do Rio) não está em nada. Fica um fantasma lá", alfineta.O ex-governador condenou ainda a ajuda financeira dada pela Adhonep (Associação dos Homens de Negócios do Evangelho Pleno) a Garotinho. "O procedimento de Itamar éabsolutamente correto. O incorreto é aquele vai-e-vem financiado pela associação. Isso é ilegal porque as empresas privadas não podem financiar um candidato por trás da lei",afirma.Brizola comentou ainda o namoro político entre o PDT e Itamar. "Nós nem sequer formulamos um convite formal a ele, mas se caminhas na nossa direção vai ser bem-recebido e nos honrará", avalia o ex-governador. Ainda segundo Brizola, uma dobradinha de Itamar e Ciro Gomes (PPS) é a fórmula vencedora para a eleição presidencial de 2002. "OPDT vai se empenhar pela união destas duas correntes para um programa de oito anos", finaliza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.