Britto recomenda que partidos sejam seletivos com candidatos

Na terça-feira, TSE decidiu que candidatos com 'fichas sujas' poderão disputar eleições

da Redação

11 de junho de 2008 | 20h43

O presidente do TSE, ministros Carlos Ayres Britto, recomendou nesta quarta-feira, 11, em encontro, que os partidos políticos que tenham cuidado ao escolher os seus candidatos para as próximas eleições. "O partido político deve ser seletivo na escolha de seus candidatos, porque o eleitorado também fará a sua seleção", defendeu o presidente do Tribunal.   Ayres Britto esclareceu que, quanto à vida pregressa dos candidatos, a decisão do Tribunal foi a de manter a regra segundo a qual só não podem ter o registro os candidatos que tiveram condenação definitiva em processos criminais, ação de improbidade administrativa ou ação civil pública. "Enquanto não tiver trânsito em julgado a Justiça não negará registro", disse.   Na terça, por 4 votos a 3, os ministros do TSE concluíram que os políticos com fichas sujas só podem ser barrados pela Justiça Eleitoral quando condenados em última instância ou se uma lei complementar for aprovada pelo Congresso para estabelecer as condições para que o registro seja negado.O resultado repete o julgamento de 2006, quando o presidente do Vasco, Eurico Miranda, conseguiu derrubar decisão do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) que vetara sua candidatura à Câmara.

Tudo o que sabemos sobre:
TSEeleições municipais

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.