Brindeiro pede remessa de autos de processos de Jader

Três dias depois de renunciar à presidência do Congresso, o senador Jader Barbalho (PMDB-PA) voltou a ser bombardeado.O procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, recomendou nesta sexta-feira ao Supremo Tribunal Federal (STF) a transferência dos autos do inquérito policial que apura o envolvimento do parlamentar nos desvios de recursos da extinta Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam).Em tramitação na 2ª Vara Federal de Tocantins, o inquérito foi pedido para decidir a quebra de sigilo fiscal, bancário e telefônico do ex-presidente do Senado.A devassa nas contas foi requerida pela Polícia Federal (PF) no Estado. O deputado federal José Priante (PMDB-PA) também é investigado no inquérito sobre irregularidades de financiamentos à empresas de Paraíso (TO).A quebra dos sigilos de Jader e Priante foram pedidas diretamente ao Ministério Público Federal (MPF) pela PF.Mas a decisão sobre Jader e Priante depende de análise do Supremo Tribunal Federal (STF), pelo fato de parlamentares federais terem fórum privilegiado. Brindeiro pediu ainda ao STF a remessa dos autos de um inquérito engavetado pela Delegacia de Ordem Social, de Belém.O inquérito apurou desvios de recursos do Banco do Estado do Pará (Banpará), nos anos 80, época em que Jader foi governador. O procurador-geral pretende enviar os autos para PF, em Brasília, que investiga o caso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.