Brindeiro encaminha representação contra Barbalho e ACM

O procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, pediu à Receita Federal para que encaminhe representação ao Ministério Público Federal contra o presidente do Senado, Jader Barbalho (PMDB-PA), e o senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) para abertura de inquérito caso sejam identificados indícios de enriquecimento ilícito envolvendo os dois parlamentares. A decisão de Brindeiro foi motivada pelas representações enviadas pelo Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado no ano passado com base na troca de acusações entre ACM e Jader. Em ofício enviado na última segunda-feira ao secretário da Receita Federal, Everardo Maciel, Brindeiro solicitou ainda que o órgão dê informações sobre a existência de ?procedimentos fiscais? contra os dois senadores relativos às denúncias de enriquecimento ilícito. Nesta quarta-feira, um dia depois de ACM cobrar providências a respeito das acusações contra Jader, Brindeiro divulgou também que as representações abertas com base nas mútuas acusações feitas pelos dois senadores há quase um ano foram arquivadas por meio de dois pareceres assinados pelo subprocurador-Geral da República, Haroldo Ferraz da Nóbrega. Em seus pareceres, Nóbrega considera que não há indícios de envolvimento de Jader e ACM em irregularidades nas acusações que foram feitas. Entre elas, estão as referentes à existência de contas fantasmas, evasão de divisas, corrupção e desvios de recursos públicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.