Brindeiro é contra libertação de Gloria Trevi

O procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, quer que a cantora mexicana Gloria Trevi continue presa na Papuda, em Brasília, mesmo estando grávida de sete meses. O procurador assinou parecer contrário ao pedido de prisão domiciliar requerido pela defesa da cantora, de sua secretária Maria Raquenel Portillo, conhecida como Mary Boquitas, e de seu ex-empresário, Gustavo Andrade Sanchez. Os advogados da cantora pedem a anulação dos pedidos de extradição dos três. Isso porque, segundo a defesa, o ministro Néri da Silveira teria acatado uma solicitação de extradição feita pela embaixadora do México no Brasil, Cecília Soto. "No sistema federativo adotado pelo México, a legitimidade exclusiva para requerer esse tipo de pedido é do procurador-geral daquele país", disseram os advogados.Contrariando a determinação, completou a defesa, as solicitações de extradição foram requeridas por juízes da 6ª e 4ª Varas Penais do Distrito Judiciário de Morelos e encaminhadas à Embaixada do México no Brasil. Além disso, eles alegam que Gloria, grávida de sete meses, não pode continuar presa, pois precisa ficar em um local com condições adequadas para não prejudicar sua saúde e a de seu filho. Brindeiro disse que enquanto o processo de refúgio estiver em andamento, o STF aplicará a legislação sobre estrangeiros. Nesse caso, não é possível conceder liberdade vigiada ou prisão domiciliar para qualquer um dos três mexicanos. O parecer do Ministério Público é apenas uma sugestão para o Supremo Tribunal Federal (STF) que já autorizou, em dezembro do ano passado, a extradição dos três. Trevi está grávida de sete meses e alega que foi estuprada diversas vezes na carceragem da Polícia Federal, em Brasília. A cantora, no entanto, não revela o nome do pai da criança. Um comissão mista formada pela Polícia Federal, Ordem dos Advogados do Brasil e Ministério Público concluirá nos próximos dias uma investigação para esclarecer o mistério sobre a gravidez da cantora. Um relatório preliminar da Superintendência da Polícia Federal indicava que Gloria teria feito uma inseminação artificial com o auxílio de uma caneta. O assaltante de bancos Marcelo Borelli, que na ocasião estava na carceragem da PF, teria colaborado no procedimento.Gloria Trevi pretendia se hospedar até o final da gravidez na casa da despachante de documentação para estrangeiros, Sílvia Begg. Ele tem assessorado a cantora processo de pedido de refúgio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.