Brindeiro diz que não houve irregularidade em apreensão na Lunus

O procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, deu parecer contrário a uma reclamação do Ministério Público Federal para que fosse revalidada a operação de busca e apreensão na empresa Lunus, de propriedade da ex-governadora e senadora Roseana Sarney (PFL-MA). Na operação, realizada em março de 2002, foram encontrados R$ 1,34 milhão em dinheiro. O ato foi invalidado pelo Tribunal Regional Federal (TRF) da 1ª Região. O Ministério Público Federal alega que a competência para analisar o pedido seria do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e não do TRF. Mas Brindeiro concluiu que não houve irregularidade. O parecer será analisado pelo STJ.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.