Brindeiro acha que procuradores não vazaram grampo

Ao contrário da iniciativa da Polícia Federal, que determinou investigação sobre o vazamento de conversas telefônicas sobre o escândalo da Sudam, o procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, garantiu hoje que os procuradores não são responsáveis pela divulgação das fitas. "Se houve vazamento, não foi o Ministério Público", garantiu.A investigação dentro da procuradoria foi pedida pelo ministro da Justiça, José Gregori. As fitas foram gravadas pela Polícia Federal, com autorização judicial, a pedido do Ministério Público, para investigar desvios de recursos da Sudam.Brindeiro contou que Gregori lhe telefonou na terça-feira cobrando providências. "Aquelas conversas dizem respeito a fitas que se encontram na Superintendência da Polícia Federal em Belém", afirmou Brindeiro. "As fitas estão de posse da Polícia Federal", afirmou. Segundo o procurador, o vazamento do conteúdo dos diálogos é crime e tem de ser apurado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.