Brigadeiro confirma diálogo com Dilma sobre Varig

Em entrevista hoje à Rádio CBN, o brigadeiro José Carlos Pereira, ex-presidente da Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), confirmou ter recebido um telefonema da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, depois de ter dado declarações para a imprensa afirmando que o negócio de compra da Varig pela VarigLog (que tinha como sócio o fundo americano Matlin Patterson) poderia ser "impatriótico". O brigadeiro conta que, no telefonema, a ministra "ponderou que eu não deveria fazer esse tipo de comentário"."Um jornalista me procurou e falou da possibilidade de a Varig cair na mão de controle estrangeiro e falei que isso era impatriótico. Na verdade, usei a palavra de forma errada. O certo seria ilegal", disse Pereira. "Eu concordei com a ministra, o problema era da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), a Infraero não tinha que se meter", afirmou. Pereira disse que a conversa foi normal e negou que a ministra tenha sido dura. "A ministra Dilma tem seu modo de falar, mas de forma nenhuma (foi dura)."O brigadeiro conta ainda que, na época, ele não percebeu que havia qualquer anormalidade com os compradores da Varig. "Mas agora, pelas declarações da Denise (Abreu, ex-diretora da Anac), parece que realmente aconteceu alguma coisa errada, que o controle pode ter caído nas mãos do fundo americano", afirmou o brigadeiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.