Briga PT-PSB ameaça réveillon de Fortaleza

A briga entre PT e PSB em Fortaleza chegou ao ponto de a Prefeitura cancelar o Réveillon Popular 2013. Em nota, a prefeita Luizianne Lins, que também é presidente estadual do PT, disse que não realizará a festa por "não se sentir legitimada para conduzir uma festa que transcorrerá em meio a uma mudança de gestão". Na virada deste ano, a festa reuniu 1,5 milhão de pessoas na praia de Iracema e teve atrações como a cantora baiana Ivete Sangalo.

LAURIBERTO BRAGA, Agência Estado

21 de dezembro de 2012 | 08h57

Com o anúncio, o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), decidiu realizar a festa com promoção do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Turismo estadual. "Lamento apenas que a desistência da prefeita tenha ocorrido a dez dias da festa. Mas temos competência para fazer o réveillon e vamos revelar sem demora as atrações", afirmou o governador, que já anunciou as atrações, entre elas o cantor internacional Billy Paul, o sertanejo Luan Santana e a dupla Zezé di Camargo e Luciano.

Na nota de esclarecimento sobre o cancelamento da festa, Luizianne cita que "a Operação Réveillon, coordenada todos os anos pela prefeitura, envolvendo órgãos municipais, estaduais e federais, só é finalizada às 20h do dia 1.º de janeiro de 2013, quando serão restabelecidas as condições normais de fluxo de veículos, circulação de transporte coletivo, limpeza urbana e segurança pública na cidade, ações que demandam extrema atenção e coordenação por parte do gestor público municipal, cargo que estará em plena transição neste dia". Em caso de transtorno, diz a nota, a prefeitura não teria como garantir o bem-estar dos participantes.

A prefeita diz ainda, na nota, que realiza o Réveillon Popular desde 2005, quando o evento reuniu 150 mil pessoas. Mas a festa cresceu e chegou a um público de 1,5 milhão de pessoas na última edição, o que, segundo ela, "transformou Fortaleza no segundo maior destino turístico de réveillon do Brasil". "Caberá ao próximo gestor avaliar as possibilidades e decidir se, no futuro, o evento poderá ser novamente realizado", completa a nota.

O prefeito eleito Roberto Cláudio (PSB), que toma posse no dia 1.º de janeiro, manifestou interesse em realizar a festa nos anos de sua administração. Ele também lamentou que Luizianne só tenha decidido pelo cancelamento "praticamente em cima da virada do ano". "Mas vou fazer o possível para ajudar o governador a fazer uma bela festa", afirmou.

Roberto Cláudio afirmou que "a lei é bastante clara de que a responsabilidade da festa de 2013 é da atual prefeita". "O que eu digo é que, se eu já fosse prefeito, não abriria mão da festa e não decepcionaria o povo fortalezense, os nossos turistas, e faria um belo réveillon, que agora aposto que o governador fará." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Tudo o que sabemos sobre:
Fortalezaréveillon

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.