Briga entre PMDB e PFL interrompe sessão sobre Jader

O presidente em exercício do Conselho de Ética do Senado, senador Geraldo Althoff (PFL-SC), interrompeu hoje à tarde a sessão por alguns minutos em razão de uma discussão entre senadores do PMDB e do PFL. O senador João Alberto (PMDB-MA), integrante da Mesa, perguntou quando seria lido seu voto em separado ao relatório da comissão investigadora das denúncias de envolvimento do senador Jader Barbalho (PMDB-PA) em episódios de corrupção. No texto do relatório, é pedida a abertura de processo contra Barbalho. Ao fazer a pergunta, Alberto gritou: "Eu assisti aqui à apresentação de um relatório de linchamento do senador Jader Barbalho!". Os senadores Romeu Tuma (PFL-SP) e Jefferson Peres (PDT-MA), que subscreveram o relatório, reagiram. "Isso é uma falta de respeito!", protestou Tuma. "Eu me sinto desrespeitado", completou Peres.João Alberto continuou gritando: "Não há uma prova contra Jader!". Tuma se levantou da Mesa, seguido por Peres. O tumulto reflete a dimensão do confronto travado no Conselho de Ética: o PFL quer que o relatório seja votado antes que Jader Barbalho reassuma a presidência do Senado, o que está previsto para o dia 17 próximo, quando expira sua licença. O PMDB quer adiar qualquer definição sobre o relatório.Médicos do serviço interno foram deslocados para a sala do Conselho de Ética como precaução no caso de senadores precisarem de eventual atendimento cardíaco.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.