Briga entre governo e oposição mostra atraso, diz Lula

Em campanha para promover o nome da ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu hoje paz à oposição. Ao visitar uma escola técnica em Planaltina, cidade satélite do Distrito Federal, ele disse que as brigas entre o governo e os partidos adversários só mostram o atraso do País. "Acho que temos de ter uma evolução política", afirmou. "Temos de saber a época de brigar, disputar e governar."Dilma, candidata de Lula para a sucessão de 2010, não foi a Planaltina, mas o nome dela estava nas faixas colocadas por aliados na estrada de acesso à escola técnica. Em meio a uma ameaça dos partidos oposicionistas DEM e PSDB de entrar com ações no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e no Tribunal de Contas da União (TCU) contra o governo, o presidente fez um discurso pedindo o fim dos ataques. Lula chegou a lembrar a boa relação com os governadores do Distrito Federal, José Roberto Arruda, do DEM, e de São Paulo, José Serra, do PSDB, além de Eduardo Campos, de Pernambuco, do aliado PSB. "Eu sou de um partido, o Arruda é de outro. O Serra e o Eduardo Campos, de Pernambuco, de outro. Se a gente não assumir a responsabilidade de que a gente tem a vida inteira para brigar e apenas quatro anos para governar e temos de governar juntos, quem perde é a sociedade", disse Lula. "Da minha parte, eu só peço a Deus que, daqui para frente, nos próximos 20 ou 30 anos, o governante que for eleito tenha juízo para perceber que a briga que fazemos, muitas vezes, é o que mostra o atraso deste País e o número de analfabetos e de gente sem formação no País."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.