Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Briga com índios. E Ilha do Bananal quase é destruída

Uma chuva rápida que caiu na parte norte da Ilha do Bananal nas imediações da antiga sede do Parque Nacional do Araguaia (PNA), próximo ao estado de Mato Grosso, controlou o fogo que devastou quase toda a área de 562 mil hectares. A chuva impediu que o fogo atingisse uma mata de dois mil hectares, uma das poucas áreas que ainda não tinham sido queimadas. De acordo com o fiscal Gesolino Xavier, que sobrevoou a área hoje à tarde praticamente toda a área do parque foi queimada.O procurador-chefe da República no Tocantins, Álvaro Lotuffo Manzano deslocou-se para a região na tentativa de convencer os caciques das aldeias que ficam dentro do PNA, permitirem a entrada de fiscais do Ibama e de uma brigada de combate a incêndios, mobilizada na cidade de Lagoa da Confusão, pronta para entrar na ilha. Os índios reivindicam toda a área do parque para suas comunidades e proibiram a presença de funcionários do Ibama no local. Uma reunião de entendimento entre Manzano, representantes da Funai, do Ibama e os caciques está prevista para amanhã na aldeia Boto Velho. Para demonstrar que não estão dispostos a devolver a área do parque, no último dia dois de agosto os índios seqüestraram Gesolino Xavier por quatro dias. O fiscal foi liberado, mas os caciques decidiram manter em seu poder três veículos do órgão federal. No último final de semana Manzano organizou uma partida de futebol entre um time do MPF e os índios, que levaram a melhor, ganhando o jogo por 5x3. O amistoso pode ajudar na abertura de um canal de entendimentos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.