Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

Bretas publica foto com fuzil durante treinamento de segurança

Juiz da Lava Jato no Rio diz que está fazendo um curso oferecido pela Polícia Civil, a quem agradece, assim como a Polícia Militar

Constança Rezende, O Estado de S.Paulo

01 de dezembro de 2017 | 17h16

RIO - O juiz federal da Lava Jato do Rio, Marcelo Bretas, titular da 7ª Vara Federal Criminal, postou em seu perfil no Twitter uma foto em que aparece com um fuzil, na tarde desta sexta-feira, 1. Na mesma foto, aparecem outras pessoas, como policiais e o desembargador Paulo Rangel, do Tribunal de Justiça do Rio.

+++ Por 'foro íntimo', quatro advogados deixam defesa de Sérgio Cabral

Na postagem, Bretas explica que a foto faz parte de um treinamento oferecido pela Polícia Civil, a quem agradece, assim como a escolta pessoal feita pela Polícia Militar. “Agradeço à Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro pelo treinamento, bem como à Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro pela escolta pessoal, e ainda ao amigo desembargador Paulo Rangel do TJRJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) pelo apoio. Estamos juntos!”, afirmou no post.

+++ Defesa de Cabral pede que Bretas se declare impedido de julgá-lo no caso que envolve Eike

Ao Estado, Bretas explicou que fez o curso depois de ter recebido orientações. “Foi por uma orientação das equipes que cuidam da minha segurança. Passei a manhã (desta sexta-feira) fazendo (o curso). Este foi o primeiro. Serão várias sessões de treinamento”, disse.

+++ 'Bretas criou círculo vicioso que o impede de absolver Cabral'

O magistrado disse que não poderia comentar detalhes sobre como é o treinamento, mas que ele é “específico” para ele. “Farei tudo que indicarem. Aumentamos o nível de segurança”, afirmou.

+++ Lava Jato no Rio já mandou 134 para o banco dos réus e pediu devolução de R$ 2,3 bi

Questionado se sabia como manusear o armamento, Bretas respondeu: “Pistola sempre tive. Mas fuzil ainda não”, declarou. Bretas não respondeu a uma pergunta sobre se tem recebido ameaças, mas deu a entender que sim.

“Essas coisas pediram pra não falar. Há informações em andamento”, afirmou.

O post recebeu diferentes comentários, alguns de apoio, outros de crítica à foto.  Um dos internautas perguntou: Cadê o alvo com seus tiros? Bretas respondeu “Está na foto. 25 metros de distância”.

“Isso mesmo, todo apoio necessário e nossas orações. Tomara que nunca necessite usar os novos conhecimentos e treinamento, mas se precisar não se acanhe!”, disse outro.

Já um disse: Inacreditável. Se não tivesse visto a foto de um juiz com uma arma na mão, eu não teria acreditado. Jamais gostei dessa frase, mas aqui não cabe outra a não ser: somente no Brasil mesmo”.

Tudo o que sabemos sobre:
Marcelo Bretas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.