Bravatas de Stédile serão tratadas com autoridade, diz Alencar

O vice-presidente da República, José Alencar, disse que as afirmações do líder Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) João Pedro Stédile são uma "bravata natural do tipo de movimento que ele representa". No fim de semana, Stédile afirmara que o MST vai "infernizar" o País a partir de abril. Alencar respondeu à afirmação dizendo que o governo é democrático, mas tem autoridade e está consciente de que fora da lei não há solução para a questão agrária. "Podem ficar tranqüilos, pois o governo não permitirá qualquer movimento contrário à lei", afirmou o vice-presidente durante almoço com empresários e políticos em São Paulo. "Tenho certeza que o Stédile sabe que o governo não vai tolerar atividades fora da lei."O vice-presidente defende uma reforma agrária nos termos de cooperativa, com a instalação de grandes núcleos produtivos, como em uma grande propriedade. Admitiu, porém, que é necessário discutir muito mais o problema. Alencar considera as palavras de Stédile parte da estratégia política do MST. Ele afirmou, no entanto, que dentro da lei e respeitando o direito do próximo, o governo estará ao lado da reforma agrária.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.