Brasília, 'obra-prima de Niemeyer', está fora de controle, diz 'Guardian'

Jornal traz reportagem sobre degradação da capital, que completa 50 anos em 2010.

Da BBC Brasil, BBC

12 de março de 2008 | 07h30

Problemas como o excesso de população, tráfego e criminalidade estão afetando a "capital futurística" de Brasília, segundo disse o arquiteto Oscar Niemeyer em entrevista ao jornal britânico The Guardian publicada em página inteira nesta quarta-feira.Segundo o jornal, Brasília foi criada como uma "utopia". "Revelada há quase meio século, Brasília impressionou o mundo. A capital planejada do Brasil, com grade de ruas perfeita e edifícios de vanguarda transpira admiração e otimismo, controle e beleza", diz a reportagem.Mas o jornal afirma que, "ao se aproximar de seu 50º aniversário, o futuro parece ter emboscado Brasília"."O que era para ser uma cidade lustrosa, com grande atenção para detalhes e organização, se degradou, em alguns locais, em uma expansão de engarrafamentos cacofônicos violentos e cheios de crimes."Segundo o jornal, "este é o veredicto amargo de Oscar Niemeyer", que disse ao Guardian que sua "obra-prima está fora de controle".O jornal afirma que Niemeyer culpa o crescimento desordenado pelos problemas da capital."Em vez dos 500 mil habitantes previstos imaginados pelos criadores de Brasília, a população da cidade inchou para 2,2 milhões, enforcando a infra-estrutura e, nos empobrecidos subúrbios, mostrando cenas de violência de gangues mais comumente associadas às favelas do Rio de Janeiro. Algumas áreas foram apelidadas de Baixada Federal, em referência à Baixada Fluminense, a região do Rio com maior número de homicídios."O Guardian destaca que o problema do crescimento desordenado é irônico, já que Brasília foi construída em velocidade rápida, inaugurada apenas 41 meses depois de iniciadas as construções."Zonas comerciais e residenciais foram meticulosamente demarcadas. Carros flanavam em largas estradas, passando por edifícios que projetavam simplicidade e modernidade com finas linhas e curvas.""Menos finas foram as subseqüentes ondas de migração e filas de desempregados. O aumento da população agravou problemas de acesso aos serviços de saúde e educação."Segundo o jornal, um estudo recente da Universidade de Brasília mostrou que o desemprego entre os jovens da cidade aumentou de 21% em 1992 para cerca de 40% em 2003. "Ainda mais dramático foi o aumento da criminalidade, especialmente nos arredores."A reportagem descreve a violência dos subúrbios, mas afirma que "apesar das desilusões, o sonho utópico de Brasília não está completamente morto. Os moradores dizem que nunca se cansam de mirar a arquitetura sublime, de outro mundo, do centro da cidade. Os pais afirmam que ainda permanece um lugar mais seguro para criar os filhos do que o Rio ou São Paulo".E de acordo com o Guardian, Niemeyer fala da capital como um pai orgulhoso fala de um filho desobediente, porém amado."Não há outro lugar como ela (Brasília). É monumental. As curvas daqueles edifícios são como as de uma bela mulher", disse o arquiteto ao jornal britânico.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
brasíliaoscar niemeyerthe guardian

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.