Brasília comemora 50 anos com festa enxuta

Preparativos da festa foram prejudicados pela crise política que surgiu com a revelação do 'mensalão do DEM'

Rafael Moraes Moura, O Estado de S.Paulo

08 de março de 2010 | 20h59

Os 50 anos de Brasília serão comemorados com uma festa menor que a originalmente concebida, sem atrações estrangeiras - e com um dos principais cartões-postais da cidade, a Catedral, ainda em obras. O anúncio oficial da programação será feito nesta terça-feira, 9. Entre as atrações confirmadas pelo governo do Distrito Federal (GDF) estão os grupos NX Zero, Bruno & Marrone e Paralamas do Sucesso. O GDF pretende desembolsar até R$ 10 milhões pelo evento, metade do que havia sido prometido inicialmente pelo governador afastado José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM), preso desde 11 de fevereiro na superintendência da Polícia Federal. Os organizadores prometem uma festa mais enxuta na Esplanada dos Ministérios e buscam apoio da iniciativa privada para reduzir custos.

 

Os preparativos da festa foram prejudicados pela crise política que surgiu com a revelação do "mensalão do DEM". Em fevereiro, o empresário Dodi Sirena disse ao Estado que as chances de uma apresentação do cantor Roberto Carlos eram "remotas". "É uma honra celebrar os 50 anos da capital, mas, por outro lado, o Brasil inteiro está indignado com essa situação", afirmou. Foram ainda cogitados artistas internacionais, como Paul McCartney e Shakira, mas não se fechou nenhum contrato.

 

O Comitê Executivo dos 50 anos de Brasília era presidido por Paulo Octávio (sem partido, ex-DEM), o vice que assumiu o governo após a prisão de Arruda e acabou renunciando. Há duas semanas, o atual governador em exercício, Wilson Lima (PR), encontrou-se com integrantes do comitê e prometeu analisar a proposta para a festa. "Uma cidade que comemorou 47, 48, 49 anos, como não vai comemorar os 50 anos?", questionou o secretário de Cultura, Silvestre Gorgulho. "O Brasil tem de distinguir Brasília da política. Veja o caso da Beija-Flor (que homenageou a capital no carnaval deste ano), foi um dos momentos mais grandiosos do cinquentenário e não teve vaia."

 

Para o presidente do Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares do Distrito Federal, Clayton Machado, o setor não tem expectativa nenhuma de incremento nos negócios. "Não existe telefonema de gente pedindo reserva, não tem ninguém comprando passagem", lamentou. "Quem viaja para Brasília quer um contexto, não apenas o show, mas saber a importância da política, ver os políticos, o governador. O que propomos é resgatar a dignidade dos moradores, que estão totalmente desmotivados e desapontados, e após isso ter outra ação, de Brasília para fora."

 

Obras

 

O Palácio do Planalto, que no momento passa por restauração, deverá ser entregue no dia 21 de abril para o aniversário de 50 anos de Brasília, informou a Secretaria de Imprensa da Presidência da República. Já a Catedral ficará pronta apenas em junho. Segundo a Secretaria de Obras do GDF, o cronograma está dentro do previsto. A Catedral deve abrir para visitação no dia do cinquentenário, mesmo precisando de ajustes finais de acabamento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.