Brasileiros dentro da lei são bem-vindos, diz Lugo

Presidente do Paraguai disse que situação dos brasiguaios será vista caso a caso.

Marcia Carmo, BBC

24 de outubro de 2008 | 20h09

O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, disse nesta sexta-feira que os brasileiros que trabalham "dentro da lei" são "bem-vindos" a seu país. "Os irmãos brasileiros que desejem contribuir para o país, dentro do desenvolvimento, dentro da lei, são bem-vindos, assim como todos os outros imigrantes". As declarações do presidente foram feitas na localidade de São Pedro del Ycuamandiyú, capital do Departamento (Estado) de São Pedro, onde passou o dia com integrantes de seu ministério em reuniões com os movimentos sociais que pedem medidas contra os fazendeiros brasileiros. Na cidade, a cerca de 300 km de Assunção, é registrada forte resistência dos camponeses à presença dos brasileiros que possuem terras e cultivam, principalmente, soja. Lugo deverá se reunir também com parlamentares e agricultores da região.Caso a casoQuando perguntado por jornalistas paraguaios se brasileiros que ocupam estas terras, "de forma irregular", deveriam deixar o país, o presidente paraguaio respondeu: "Existem diferentes situações. Veremos caso por caso. O setor de Migração está trabalhando nisso e também o Indert (Instituto de Desenvolvimento Rural e da Terra)". Lugo disse ainda que quer dar "garantias" aos estrangeiros que optaram por investir no Paraguai. Segundo ele, será possível chegar a um "bom entendimento" com os movimentos sociais que pedem uma reforma agrária e criticam os brasileiros por não gerar trabalho em suas propriedades. A reforma agrária foi uma das promessas de campanha de Lugo, num país onde a soja - junto com as remessas enviadas pelos que vivem no exterior a seus familiares - é decisiva para o equilíbrio das contas públicas, mas criticada por não criar empregos. Caminhonete baleadaNesta sexta-feira, o brasileiro Jolvani Paulo Vetorello, proprietário de uma fazenda no Paraguai, denunciou à Justiça, segundo os sites dos principais jornais do país, que uma caminhonete da sua equipe foi baleada por desconhecidos. Os sites publicaram também uma foto de um carro baleado. A fazenda conta com segurança policial, diante da ameaça de invasões. Não existem estatísticas oficiais sobre o total de brasileiros - conhecidos como "brasiguaios" - no Paraguai. Mas eles geralmente se dedicam ao cultivo da soja e, em algumas regiões, também ao gado. Na semana passada, líderes dos movimentos sociais de São Pedro voltaram a afirmar que os brasileiros teriam prazo de oito dias para deixar as terras. ResgateTambém nesta sexta-feira, o jornal Ultima Hora traz a manchete "Brasil ensaia resgate de brasiguaios e ocupação de represa (de Itaipu)". O texto diz que a operação chamada "Fronteira Sul II", realizada por militares brasileiros, na fronteira com o Paraguai, inclui exercícios de eventual resgate de brasileiros e ocupação da hidrelétrica." "Não se descarta que possam aplicar as medidas para (retirar) brasiguaios e (para a) ocupação de Itaipu", diz o texto. Na quarta-feira, pouco antes de uma nota divulgada pelo governo brasileiro em defesa dos brasiguaios, o jornal ABC escreveu em seu editorial que o Brasil é o único responsável pelo que ocorre e possa ocorrer aos "brasiguaios".BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.