Brasileiro pode ter orgulho de seus deputados, diz João Paulo

O presidente da Câmara, deputado João Paulo Cunha (PT-SP), fez nesta sexta-feira um balanço positivo dos dois anos de sua gestão, que termina em 15 de fevereiro. Ele disse que a Câmara foi aberta à população, foi adotada maior transparência no funcionamento da Casa e se votaram vários projetos de impacto na vida da população. Sobre as críticas recebidas pela Casa pelo acúmulo de medidas provisórias que trancavam a pauta, João Paulo lembrou que essas MPs acabaram sendo votadas. "Do ponto de vista do funcionamento, o brasileiro pode ter orgulho de seus deputados, porque nosso funcionamento tem sido muito bom", afirmou. Em debate na TV Câmara com os líderes do governo, Professor Luizinho (PT-SP), e da minoria, José Thomaz Nonô (PFL-AL), bem como, posteriormente, em entrevista coletiva, João Paulo destacou, entre as matérias importantes aprovadas durante sua gestão, os Estatutos do Desarmamento, do Idoso e do Torcedor e fatos importantes na Casa, como a votação da Reforma do Judiciário, que estava há 12 anos tramitando no Congresso, e das Reformas Tributária e Previdenciária.O presidente da Câmara reafirmou que há um excesso de medidas provisórias, mas lembrou que já foi criada uma comissão, com participação de todos os partidos, para discutir o aprimoramento do instituto da MP. Ressaltou, também, que a Câmara deu tranqüilidade ao País, à sociedade e aos investidores externos com sua atuação.Ao lembrar de críticas como as referentes aos períodos de recesso (ordinariamente, no mês de julho e de 15 de dezembro até o fim de janeiro) e ao período pré-eleitoral, quando os parlamentares se dedicam às eleições, a exemplo do que ocorreu com o pleito municipal deste ano, o presidente da Câmara observou que isso ocorre em todos os países. "As Câmaras do mundo todo não funcionam durante as eleições, porque o parlamentar é um sujeito da política", disse. "É natural seu envolvimento nas eleições. É natural que o serviço, na Câmara, seja reduzido".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.