Brasileiro é 'promessa' de esporte mais popular da Austrália

Harry Obrien cresceu na Austrália e é destaque na Liga de Futebol nacional.

Da BBC Brasil, BBC

10 de março de 2008 | 11h50

Um carioca de 22 anos é tido como uma das grandes promessas do esporte mais popular da Austrália, o futebol australiano. Harry, que mudou do Rio para a Austrália aos 3 anos de idade e herdou o sobrenome do padrasto australiano, é o primeiro e único brasileiro que fazer parte da liga australiana de futebol (AFL). Ele ganhou fama por ter entrado para um time importante da AFL bem mais jovem que a maioria - aos 18 anos, começou a jogar em estádios lotados e mostrar suas habilidades em campeonatos importantes do país. Bem diferente do futebol do Brasil, o futebol australiano, em que a bola é levada com as mãos, é uma mistura de rúgbi com futebol americano e que segue regras próprias. Segundo Harry, o esporte, que, a exemplo do rúgbi, dispensa o uso de proteção especial entre os jogadores, é mais violento do que o futebol americano. "Mais violento, com mais força", disse Harry, em entrevista à BBC Brasil. "Nem dá para explicar as regras para os brasileiros, é muito complicado".O apetite pelo esporte e a vontade de se tornar um jogador reconhecido começaram quando Harry, de 1,88 metros de altura, tinha 14 anos. Ginga brasileiraApós jogar em times menores em Perth, oeste do país, onde cresceu, Harry veio para Melbourne, no sudeste, contratado por um dos melhores times nacionais do país, o Collingwood Football Club, em 2004. Aos 21 anos, na posição atual de defesa, ele é tido como um dos astros do time. Ele diz que entre suas qualidades, está uma bem brasileira: "Eu costumo dizer (aos outros jogadores) que eu tenho a ginga e eles não".Segundo o comentarista da AFL Peter Ryan, o treinador de Harry, Mick Malthouse, sabe que tem uma "peça diferente nas mãos" (se referindo ao jogador)."Harry cresce como homem e jogador de substância", disse ele, que ainda elogiou o brasileiro fora do campo. "As experiências, empatia e preocupação de Harry com outros serão um belo pacote fora do campo. No campo, ele também está superando expectativas", completou.Para o treinador, "Harry é muito motivado, tem velocidade e percepção rápida para jogar", disse, comparando o brasileiro como uma mistura de três grandes nomes do futebol australiano, Simon 'Presti' Prestigiacomo, James Clement e Darryl Wakelin . Na chuteira de Harry, a bandeira do Brasil e o apelido "carioca" confirmam a nacionalidade.Apesar de viver e ter crescido na Austrália, Harry fala português fluentemente e contou que começou a jogar futebol australiano "para fazer amigos". Mesmo com a distância do país de origem, Harry, que passou as últimas férias no Brasil, não esconde suas raízes. Ele disse que gosta da cultura brasileira, adora dançar, é funkeiro e flamenguista."Quando acabar de jogar na Austrália vou para o Brasil, morar no Rio".Harry nasceu no Rio de Janeiro e veio para a Austrália com sua mãe, Elizabeth, e o irmão mais velho, Gabriel, aos 3 anos. Apesar de ser conhecido no país por Harry, o verdadeiro nome vem de origem francesa: Heritier. Filho de mãe brasileira e pai angolano-congolês, Harry cresceu com a mãe e seu padrasto australiano, Ralph, de quem herdou o sobrenome O'Brien.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.