Brasileiro compra passagem para o espaço

O empresário cearense José Newton Mamede Aguiar, de 50 anos, está prestes a se tornar o primeiro brasileiro a ir, literalmente, para o espaço. Há três anos, ele entrou na fila de espera da companhia de turismo Space Adventures para a realização de um vôo suborbital (ao contrário do vôo orbital, não é dada a volta em torno da Terra). "Neste vôo, a nave sobe, vai ao espaço e desce. Semelhante ao feito pelo americano Jonh Glenn, primeiro astronauta americano", explica o empresário.De acordo com uma carta enviada pela companhia ao cearense, há chances de no próximo ano ou até 2005 ele realizar o sonho de voar cem quilômetros acima da Terra, quando poderá observar a curvatura do planeta e experimentar dez minutos de queda livre.Formado em Física e em Engenharia pela Universidade Federal do Ceará, Mamede Aguiar esteve à frente, entre 1995 e 2001, do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs). Quando menino, ele sonhava ser astronauta. Chegou a batizar o primeiro dos quatro filhos de Yuri, em referência ao russo Yuri Gagarin, primeiro homem a entrar em órbita. Hoje, ele preside a Companhia de Aqüicultura e Alimentação (Cina) e é dono de uma construtora. Tornou-se piloto por ?hobby?. E do sonho sideral, restam as coleções. Ele coleciona tudo que sai sobre o espaço.O cearense entrou na fila espacial após fazer pré-inscrição no site da empresa Zeagrahm Space Voyage. Descobriu que a tal empresa oferecia pacotes de vôos suborbitais e o site após folhear uma revista. Só a pré-inscrição custado US$ 5 mil. O custo da viagem mesmo estaria em US$ 98 mil. A quantia foi dividida em 36 parcelas de U$ 1 mil mais US$ 57 mil , que seriam pagos durante os seis meses que antecedem a viagem. Ele fala em valores com certa cautela. Teme ser seqüestrado. "Não sou um homem rico", comenta. De acordo com ele, um outro brasileiro, um empresário paulista, também teria entrado no programa, mas acabou desistindo.Inicialmente, a aventura espacial do cearense estaria agendada para julho deste ano. Mas foi adiada por causa de problemas financeiros da Zeagrahm, que acabou sendo comprada pela Space Adventures - a mesma responsável pela viagem do empresário californiano Dennis Tito, o primeiro turista espacial da história, que viajou ano passado. Com medo que o vôo fosse cancelado por causa dos tais problemas financeiros, Mamede deixou por meses de pagar a mensalidade do pacote. Até que recebeu uma carta da nova empresa dizendo que as viagens seriam mantidas. Retomou o pagamento, e agora já está quase terminando as 36 parcelas. Garante que não teme a aventura. "Além de ser seqüestrado, só tenho medo agora é que a viagem seja adiada novamente. Só penso é no prazer da viagem", disse Mamede.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.