Brasil visa acordos justos e eqüitativos, afirma Lula

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse em discurso na ONU que o Brasil tem atuado nas negociações comerciais multilaterais para alcançar acordos justos e eqüitativos. "Na última reunião da OMC deu-se um grande passo para a eliminação de restrições abusivas que prejudicam os países em desenvolvimento", afirmou. Segundo Lula, a articulação de países da África, América Latina e Ásia no G-20 foi decisiva para manter a Rodada de Doha na trilha da liberalização do comércio com justiça social. Para o presidente, o sucesso de Doha representa a possibilidade de livrar da pobreza mais de 500 milhões de pessoas. "É fundamental continuar desenhando uma nova geografia econômica e comercial, que, preservando as vitais relações com os países desenvolvidos, crie sólidas pontes entre os países do sul, que por muito tempo permaneceram isolados uns dos outros", disse.Segundo Lula, o Brasil está comprometido com o êxito do Regime Internacional Sobre Mudança de Clima. "Estamos engajados no desenvolvimento de energias renováveis. Por isso, seguiremos trabalhando ativamente pela entrada em vigor do Protocolo de Kioto. A América do Sul responde por 50% da biodiversidade mundial. Defendemos o combate à biopirataria e a negociação de um regime internacional de repartição dos benefícios resultantes do acesso a recursos genéticos e conhecimentos tradicionais".Leia maisLula defende reforma do modelo de desenvolvimento globalBrasil busca justiça e paz mundial, diz LulaCombate ao terror não se restringe à área militar, diz Lula

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.