Brasil vai enriquecer urânio a partir de dezembro

O Brasil retomou o programa de produção de energia nuclear e vai começar a produzir urânio enriquecido a partir da segunda quinzena de dezembro. Este combustível será destinado ao funcionamento das usinas nucleares de Angra 1 e Angra 2, no litoral do Rio de Janeiro. Com a produção retomada, o País vai conseguir abastecer até 15% do combustível exigido pelas duas usinas que hoje são responsáveis por 4,3% do total de energia elétrica consumida no País.A produção do urânio enriquecido só foi possível depois que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) autorizou o funcionamento da planta de Resende, no Rio de Janeiro, onde o combustível está sendo enriquecido utilizando a técnica de centrifugação. A autorização foi concedida por inspetores da AIEA que nos dias 16, 17 e 18 de novembro fiscalizaram a fábrica de Rezende e constataram que o combustível será destinado exclusivamente à produção de energia elétrica nas usinas do complexo de Angra dos Reis. "Vamos economizar milhões de dólares em divisas com a produção em Angra dos Reis", comemorou o ministro da Ciência e Tecnologia, Eduardo Campos. A economia ocorrerá porque o Brasil, com a autorização da agência de energia atômica, a partir do próximo ano não precisará mais enviar os tabletes do minério para serem transformados em gás de urânio no Canadá e Europa para depois trazer o produto enriquecido de volta ao Brasil, transformá-lo em pastilhas sólidas para serem utilizadas como combustíveis das usinas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.