Brasil treina para disputar campeonato de futebol de robôs

Três jogadores de cada lado, de formas geométricas e um tanto atabalhoados. Mas conquistaram uma torcida animada durante uma demonstração de futebol feita nesta terça-feira, no Ginásio de Esportes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Os jogadores são robôs, quadrados e com menos de dez centímetros de altura cada, e o jogo foi todo controlado por computador.A partida integrou a programação da 6.ª Semana de Engenharia Mecatrônica - Automática 2004 da Unicamp. Os times e a condução do jogo foram desenvolvidos por professores e alunos do Centro Universitário da Faculdade de Engenharia Industrial de São Paulo, por meio de softwares e computadores.O coordenador do evento, aluno da Faculdade de Engenharia de Controle e Automação, Leonardo César Rodrigues, disse que convidou os colegas para uma demonstração em Campinas a fim de fomentar o desenvolvimento de um time pelos estudantes da Unicamp.O objetivo é que a universidade possa estar representada no campeonato brasileiro de futebol de robôs, que teve a primeira edição no ano passado, em Bauru, com 15 times. Este ano, a disputa acontece em Salvador, na Bahia, em agosto, e são aguardadas novas equipes além das veteranas, explicou o professor de Ciência da Computação e Inteligência Artificial do Centro Universitário, Flávio Tonidandel.De acordo com o professor, ao contrário do futebol de campo, o Brasil ainda está engatinhando na robótica. "Não temos gabarito para disputar partidas em copas fora do Brasil. Mas temos que começar de alguma forma até atingirmos um bom nível", reconheceu, lembrando que a RoboCup reúne, anualmente, times do Japão, EUA e países da Europa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.