Brasil tem 500 mil menores no trabalho doméstico

O Brasil é o terceiro país da América Latina no ranking de trabalho infantil doméstico. São cerca de meio milhão de crianças e adolescentes que trabalham em casas de família, cumprindo jornadas extensas, muitas vezes sem remuneração. A legião de crianças trabalhadoras só é maior em Honduras e na Guatemala.Para combater essa situação, uma campanha foi lançada nesta quarta-feira no País. Intitulada "O Brasil sem trabalho infantil doméstico", a iniciativa pretende conscientizar a população sobre os abusos cometidos dentro das casas."Empregadores muitas vezes afirmam que estão tirando as crianças da rua. Engano. O trabalho doméstico infantil encurta a infância, prejudica a formação da auto-estima e geralmente provoca grande defasagem escolar", afirma o procurador-geral do Ministério Público do Trabalho Guilherme Basso.Montada pela Organização das Nações Unidas para a Infância e Adolescência (Unicef), Organização Internacional do Trabalho (OIT), Fundação Abrinq e Agência de Notícias dos Direitos da Infância, a campanha deverá veicular pela TV, pelo rádio e pela mídia impressa uma mensagem condenando o trabalho doméstico infantil. O filme, de 30 segundos, tem o mote "Trabalho infantil doméstico: não leve essa idéia para a sua casa".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.